Homicídio-suicídio

(Nota do tradutor: artigo publicado em inglês em 05/12/2006 no blog The Last Psychiatrist (“O Último Psiquiatra”), atualmente inativo.)

Só achei que tu devia saber:

há cerca de 1200 homicídios-suicídios por ano (i.e. 500-600 suicídios pela pessoa que acabou de matar outra).

(N.d.t.: nos Estados Unidos.)

75% envolvem namorado(a) ou cônjuge; 96% dos homicidas são homens (dã).

92% envolvem armas de fogo.

92% ocorrem na casa da vítima.

Há uma diferença média de idade de 6 anos entre o homicida e sua vítima. O risco aumenta com diferença de idade maior.

Em 23% dos homicídios-suicídios (digamos, cerca de 130), o homicida tem 55 anos ou mais. Compara com a taxa de homicídio em geral por gente de 55 anos ou mais: 5%.

Compara isso com as estatísticas de suicídio da população em geral, e eu acho que tu vai concordar que tem um número incrivelmente alto de pessoas morrendo nas mãos dos seus namorados/maridos imbecis. “Tu não entende, eu amava ela, eu faria qualquer coisa por ela, e ela mentiu, deu por aí – todo esse tempo não significou nada pra ela – ela não me ouvia! Como ela pôde pegar o que a gente tinha e jogar fora? Não faz sentido nenhum!”

A questão social é o que aconteceu com muitos homens que os fez incapazes de se definirem, ou de afirmar o valor deles, exceto por meio de outra pessoa. E “amor” – ou a distorção dele – e agressão são fortemente ligados em tais pessoas. Mas isso é narcisismo, e é a doença da nossa época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *